segunda-feira, 21 de dezembro de 2009

Aves do Manguezal

Passarazzi dal Brasil: Uccelli di Mangrovia
Garça-moura Ardea cocoi decola sobre o canal do mangue.
Em português “manguezal” é o terreno onde crescem as árvores chamadas mangue.  No entanto muitas pessoas usam o termo “mangue” ou até "mangal" para falar desse ecossistema. Essas árvores possuem sementes que bóiam e migram fincando raízes assim que tocam alguma lama banhada por rios e mar, sujeita ao regime das marés. No Brasil são protegidos legalmente desde a época de D. João VI. Considerados um ecossistema costeiro de transição entre os ambientes terrestre e marinho, são característicos de regiões tropicais e subtropicais.

Garça-azul Egretta caereula
filhote acima e mamãe abaixo.

Savacu-de-coroa Nyctanassa violacea
sobre as árvores de mangue

O Brasil tem cerca de 25.000 km2 de manguezais, que se distribuem ao longo do litoral Sudeste-Sul brasileiro, desde o Cabo Orange, no Amapá, até o Município de Laguna em Santa Catarina, estado que concentra 12% dos manguezais brasileiros. Sua geologia repleta de estuários, lagunas e enseadas oferece.condições ecológicas perfeitas para a ocorrência de manguezais inclusive aqui nas baías da Ilha de Santa. Catarina .

Considerados berçários naturais, sua vegetação e composta espécies típicas, às quais se associam outros componentes vegetais e animais entre eles as aves.


Filhotões de biguá
Phalacrocorax brasilianus

 A aves encontram nos manguezais nos horários de maré vários tipos de petiscos como ostras, camarões, berbigões, caranguejos e outros moluscos, além dos peixes que utilizam o mangue como abrigo ou maternidade e acabam sendo “pescados” pelo Martim ou a Garça que ficam empoleirados nas margens dos canais internos do mangue à espreita do seu almoço ou o de suas crias..


Sempre vão dois remadores, neste dia,
no 2° remo e a foto é do Alberto.

Eu, Passarazzi que sou, vou remar no mangue para capturar imagens de seus habitantes alados que ali pescam, dormem, namoram e fazem tudo o que uma ave deva fazer na vida. Para poder ir lá dentro, no centro do manguezal, me equipei com uma canoa tipo canadense de plástico verde que batizei de AKU AKU, nome originário da Ilha de Páscoa que significa um espírito forte, necessário para lutar contra os esquadrões de mosquitos que também moram e procriam no mangue...


Filhotes de Savacu
Nyctanassa violacea

Em geral os mangues no Brasil e aqui na Ilha e Santa Catarina são, atacados mesmo é “pelas bordas” através da especulação imobiliária e a ocupação ilegal nas margens das estradas que contornam essa áreas. Mas no coração desses lugares, entrando de canoa pelos meandros de canais que os irrigam na maré alta, não se vê sinal da ocupação humana. (a não ser o indesejável lixo plástico que bóia pelos oceanos de pólo a pólo) E a fauna local se mostra totalmente integrada àquela paisagem natural alagada e biologicamente rica.

A pré-primavera é propícia para avistar os reservados Savacus.
Nyctanassa violacea

É sempre produtiva uma incursão ao manguezal, lá eu já fiz registros de Martins, Garças, Savacus, Maçaricos, Biguás e muitas outras espécies que não consegui clicar, pois foram pousar num galho mais para lá, inacessível à minha lente. Até um jacaré-de-papo-amarelo apareceu na última vez. É uma coleção que nunca acaba, pois em cada mangue visitado vemos que a biodiversidade ali é muito variada mostrando que temos trabalho para muitos anos ainda até clicar todas as espécies na melhor pose possível.


Com a lua agindo na ação diária das marés de água salgada ou salobra que banha os manguezais, cria-se um ritmo natural tanto para a sobrevivência das espécies características desses ambientes, como dos peixes e aves que migram para as áreas costeiras durante fases de sua vida para alimentação ou para reprodução.

Saracura-tres-potes Aramides cajanea


Até quando esses sistemas fundamentais vão agir no ritmo ou freqüência que garanta toda a sua sustentabilidade e também a sustentabilidade do camarão (ao alho-e-óleo com uma bebida gelada) que queremos comer no calor do fim de ano aqui no Brasil.
Um 2010 grandissimo!


Neno Brazil
Ilha de Santa Catarina
dezembro 2009

Um comentário:

  1. Parabéns pelo trabalho de pesquisa e divulgação. Aqui em Santos fotografei uma ave que me pareceu estranha para a região, e graças ao seu blog pude identificá-la.

    ResponderExcluir